Elucidando Downloads e Barras de Access

Receber downloads.

Essa é uma frase comum hoje no campo das terapias quânticas, que diz respeito a atualizar, acessar novas energias, informações.

Aqueles que possuem a percepção do acesso à esses downloads descrevem esse processo como sendo um "pacote de dados", onde o conteúdo não vem organizado linearmente como a mente racional funciona.

É como se uma quantidade enorme de informações estivessem compactadas dentro de um pacote, e quando isso é acessado promove uma certa confusão e até um desconforto a quem recebe.

Isso ocorre porque a mente funciona como um filtro, é tudo o que é por nós acessado passa por ela de alguma maneira.

Ela se esforça para compreender, conceituar, rotular o que está chegando de acordo com aquilo que ela já conhece, mas não consegue fazer isso devido a velocidade e quantidade de informações que chegam de uma só vez, e por serem conteúdos novos, desconhecidos para ela.

Em sessões de barras é comum esse processo acontecer.

Quando relaxamos nossos corpos e permitimos liberar coisas que não precisam permanecer conosco, abrimos espaço para receber coisas novas. É algo natural que acontece no fluir da permissão de cada um.

Por vezes quem recebe esses pacotes quer compartilhar o que está acessando, mas não consegue construir uma fala linear para descrever.

É como se a mente precisasse usar algum recurso de descompactação dos dados, como um programa zip, para aos poucos ir fazendo a leitura daquela grande quantidade de informações recebidas.

Isso não se dá instantaneamente. Requer tempo mental de assimilação e de organização do conteúdo.

O fato de não conseguir relatar ao terapeuta o que ocorreu na sessão muitas vezes deixa a pessoa com uma sensação de incapacidade, e o que eu digo sobre isso é, apenas relaxe.

Permita que o fluxo do receber ocorra livremente e, por mais que a mente queira participar do processo e apresente limitações em sua compreensão, está tudo bem.

Informações são energias, e esse é um assunto que a mente linear não compreende bem. E digo que nada pode ser mais poderoso do que acessar coisas que a mente não conhece.

Isso abre um espaço. Cria um novo lugar dentro de nós onde não há conceitos pré-determinados. Permite a neuroplasticidade do cérebro se dar a partir do desconhecido.

Quando acessamos algo novo, fazemos novas sinapses e criamos novos caminhos neurais para permitir que aquilo se desenvolva e se manifeste.

E jamais as palavras descrevem com profundidade o que acessamos. Palavras se limitam a conceitos, e limitam a própria experiência desse receber.

Gosto de trabalhar com esses acessos de maneira desapegada. Sem criar pensamentos ou tentar compreender tudo o que se apresenta para mim.

Não se apegar as nossas experiências permite o fluir do processo.

Quanto mais queremos entender e rotular, menos absorvemos daquilo.

Você é uma dessas pessoas que recebem as informações como pacotes de dados?

Como são essas experiências de acessos para você? Já se permitiu vivenciar algo parecido?

Relaxar. Liberar. Permitir. Receber. Relaxar.

Esse é o fluxo que nos atualiza, nos renova, nos leva para outro ponto. Sem conceitos, sem apegos, sem compreensões mentais.

Somos além do que a mente nos conta.

Como seria acessar novas maneiras de ser, perceber e manifestar o que somos nessa realidade?

Como seria se abrir para tudo o que já está disponível para você?

Existe espaço ai dentro para isso acontecer?

Como seria liberar o que só ocupa espaço em você?

Tudo está disponível, aguardando apenas a nossa permissão.

SOMOS.



0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo