Elucidando Estados de Conexão Elevada e Barras de Access

Algumas vezes tive a oportunidade de experienciar um outro estado de consciência enquanto aplicava uma sessão de Barras; limpa, pura, elevada, como se todas as questões que me aprisionam em mim mesma desaparecessem, e voltasse a ser tão somente parte do Todo.

Palavras são limitadas e não descrevem a essência da experiência, mas trago esse relato por saber que tantos almejam essa conexão, mas poucos a encontram pelos meios que conhecem.

Estar no mundo sem ser do mundo. Essa frase resume essas experiências.

Não é algo que planejamos ou que nos esforçamos para alcançar; é algo que acontece inesperadamente quando estamos em estado de permissão e relaxamento, quando a mente racional não está em primeiro plano controlando cada coisa.

Como atendo em meio a natureza, não há interferências de campos como em um consultório, onde há o trânsito de outras atividades humanas ocorrendo ao mesmo tempo.

Isso promove uma maior facilidade de conexão sutil - e isso me fez escolher pelas sessões na natureza, algo que não abro mão por sentir a potencialidade desse campo puro.

Em uma das vezes que experienciei esse estado elevado, foi algo tão maravilhoso que podia passar o resto da minha vida ali.

Uma paz que não existe aqui. Algo que nessa dimensão concreta não vivenciamos. Um estado de pura harmonia, um ritmo integrado onde cada brisa acaricia a alma. A real sensação de pertencer, de fazer parte daquela magia manifestada, onde o corpo físico é apenas um receptor de vibrações, aquele que sente e se deleita no acolhimento daquela interação verdadeira que é o existir.

A mente não ousa falar, porque não há o que ser dito nessa língua que conhecemos.

Existe uma comunicação silenciosa e sutil entre a natureza e nós, totalmente compreensível. A linguagem é amor, benevolência, acolhimento, luz. Como se o todo estivesse contido em mim, assim como eu estivesse contido no Todo.

Saber desses conceitos todos sabemos, mas experienciá-los conscientemente é algo que aquece cada parte de nós. Que faz lembrar quem somos de verdade. Que faz abrir os olhos da alma e perceber a infinitude que Somos.

Quando vemos relatos como esse sem termos passado por essa vivência em nossa própria pele, é como se fosse algo inalcançável; mas estou aqui para dizer que não é.

E o mesmo se deu, algumas vezes, com algumas pessoas que estavam recebendo a sessão de Barras. Uma delas descrevia aquele estado como um lugar tão belo e amoroso, do qual tinha vontade de ficar.

A leveza do corpo, a ausência de desconfortos, de situações emocionais, de pensamentos.

Um estado único de presença que sozinhos temos dificuldade em alcançar.

Esse processo chamado barras promove, com facilidade, sem rituais, sem entorpecentes, sem mistérios.

A beleza da existência está sufocada na ilusão dessa densidade; muitas vezes nos confundimos com ela e não conseguimos mais lembrar quem somos de fato.

Você já passou pela experiência de, conscientemente, vivenciar a integração total com a existência?

Já acessou esse espaço de pura paz e harmonia que ainda inexiste aqui nesse plano?

Me conte como isso é para você.

Quanto mais partilhamos mais criamos o novo.

Somos.



0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo