Buscar
  • Shely Paz

Ondas cerebrais - Entenda como funciona o seu cérebro

Atualizado: Set 16

Assista o vídeo anexo no final deste post.


Seria meditação o ato de pausar a nossa mente?

Bem nós poderíamos falar sobre meditação baseado nos últimos avanços tecnológicos. Quando a gente está tendo uma conversa normal, batendo um papo, nossos padrões de ondas cerebrais estão em estado de vigília. Em outras palavras, enquanto a gente bate esse papo e conversa sobre algum assunto, se estivéssemos conectados a um eletroencefalógrafo e olhasse para os resultados, veríamos que nossas ondas cerebrais estariam em um nível de frequência chamada beta, ou seja nosso córtex cerebral está processando informações e tentando integrar essas informações sobre as quais estamos falando, tudo no mundo exterior com que está acontecendo no nosso interior.

Quando nós estamos funcionando em estado beta, o mundo exterior é mais real do que o mundo interior.

Isso é importante para nós, porque nós funcionamos em três ou quatro dimensões e nós temos que manter nossa atenção no mundo exterior.


Quando reagimos a certas coisas em nossas vidas, como situações estressantes, nosso cérebro passa do que é chamado médio beta, que é um estado um pouco mais vigilante, até o mais alto nível de beta, onde a gente fica excessivamente analítico, excessivamente focado, e nosso cérebro entra em um estado extremamente incoerente.


Nós entramos no modo emergência e nenhuma nova informação consegue entrar no nosso sistema nervoso que não seja igual a emoção que estamos experimentando. Então nesse estado nós não queremos aprender, não queremos crescer, nós não queremos ter ideias ou criar projetos de longo prazo, porque nós estamos no modo emergência, e emergência nós não estamos interessados em crescimento e reparo, nós estamos interessados no momento presente e na emergência relacionada com ele.


Quando estamos nesse estado, nós estamos no modo extremamente analítico de pensamento. Estamos sempre avaliando o próximo momento, baseados no momento passado. Estamos pensando em polaridade, ou seja, bom e ruim, sucesso e fracasso, certo errado, positivo e negativo. Porque o cérebro é dividido em dois, nós estamos constantemente fazendo isso.


Quando nós fechamos os olhos e começamos a eliminar o ambiente externo, nosso cérebro não está mais processando nada visualmente. 80% das informações que entram no nosso cérebro vem do sentido da visão, nossa orientação espacial.

No momento em que começamos a eliminar o ambiente externo, nós colocamos uma música suave para não ouvir os sons do ambiente, o córtex cerebral não está mais processando ou colocando atenção no mundo exterior, então ele começa a desacelerar seus processos ele se torna menos analítico, e no momento em que isto acontece, nós movemos para um estado de ondas chamado alfa.


Em alfa, de acordo com as pesquisas, o mundo interior é mais real do que o mundo exterior.


Em outras palavras, o que nós estamos pensando a respeito, ou sonhando, parece ser mais real do que o ambiente externo.

Este é um lugar importante para se estar, porque é quando nós começamos a nos mover da mente consciente, através da mente analítica, para o sistema operacional do subconsciente, onde todos os hábitos, comportamentos e programas existem.

Agora movendo-nos para o estado alfa, nós temos períodos nos quais nós perdemos o controle sobre o tempo e o espaço, porque assim que o lóbulo frontal começa a processar novas informações e nós estamos focados em uma única ideia ou conceito, ele não quer ser distraído por estímulos externos. Então ele age como se fosse um controlador de volume. Ele começa a baixar o volume do resto dos circuitos do nosso cérebro, que estão conectados com o ambiente, com o nosso corpo e com o tempo. E se não existe atividade cerebral naquelas áreas de diferentes regiões do nosso cérebro, para processar o corpo, o ambiente e o tempo, então não somos ninguém, não somos nada e somos atemporais.


Agora, neste estado de desassociação, neste momento onde nós nos tornamos nada, é o momento onde estamos nos tornando pura consciência.


E quando estamos vivendo naqueles estados de emergência, nós estamos excessivamente focados nos nossos corpos, excessivamente focados no ambiente externo e obcecados sobre o tempo.


E quando começamos a definir nossa realidade com os nossos cinco sentidos, nós nos tornamos materialistas, nós começamos a focar na menor parte do átomo, em vez de focarmos nas possibilidades do átomo. O átomo é 99,999999% nada ou possibilidade, e 0,0000001% partícula ou matéria.


E quando estamos vivendo em emergência, baseados nos hormônios do estresse, nós estamos focando na partícula, estamos perdendo as ondas de possibilidades.


Quando nos movemos para este estado de criação, quando nos tornamos ninguém, nada e atemporais, e nós temos o equipamento neurológico para fazer isso, nesse momento, onde nós estamos focando em nada, nós nos esquecemos de nós, nos esquecemos dos nossos problemas, dos nossos relacionamentos, dos nossos filhos, dos nossos cães, das nossas esposas ou maridos, do nosso trabalho.

Nós não estamos mais processando aquele mesmo nível mental que mantém a nossa realidade a mesma.


Este é o momento em que nós entramos no campo quântico.


Nós não podemos entrar no campo quântico como alguém.

Nós temos que entrar como ninguém, nós temos que entrar como consciência pura.


Quando nós acessamos este estado de consciência pura, é neste momento que nós temos domínio sobre o nosso corpo.


Este é o momento em que começamos a mudar algo no nosso ambiente.

É quando podemos, de alguma maneira,  alterar o tempo.


E assim, porque nós temos todo esse equipamento neurológico para fazer isso, significa que nós apagamos a lousa do passado e passamos a viver completamente no presente.

A maioria das pessoas, quando chega a este ponto, elas pensam que já chegaram onde queriam, pois com a chegada a esse ponto, vem uma emoção muito elevada e significa que não estamos mais pensando certos pensamentos, que produzem certos sentimentos. E esses sentimentos produzem os mesmos pensamentos e novamente produzem os mesmos sentimentos, que na maioria das vezes, são derivados dos hormônios de estresse, nossos centros de sobrevivência; nossa sexualidade, nossa digestão, o poder e controle, importância, medo e culpa. Mas se não estamos mais ativando os mesmos circuitos em nosso cérebro, que estão produzindo a mesma química cerebral, nós realmente tiramos férias biológicas, e então aquela energia tem que ir para algum lugar.

Ela tem que se mover do centro de sobrevivência e, quando ela passa pelo coração, a caminho do cérebro, nós começamos a nos apaixonar pelo momento presente.

Nós começamos a nos sentir livres, como se houvesse possibilidades. Nós começamos a sentir que estamos conectados com alguma coisa. Nós sentimos como se víssemos coisas que nunca examinamos antes. E essa liberação de energia é literalmente o corpo se movendo do passado para o presente.

A maioria das pessoas para aí, porque é um sentimento maravilhoso, e isso é a consciência Divina, a qual estamos conectados que começa a ser liberada para fora de nós,  começa a se mover através de nós, começa nos consumir.


Isso é chamado de estado natural de Ser.


Quando nós chegamos a este estado natural de Ser e nos sentimos tão maravilhosos, porque não usar essas emoções e essa energia para criar um novo destino?


Comece a desenhar quem você gostaria de ser.


Crie uma nova personalidade, porque uma nova personalidade, infalivelmente, irá te conduzir para uma nova realidade pessoal.


Ninguém pode fazer isso por você a não ser você mesmo.


Dr. Joe Dispenza


Transcrição integral do vídeo anexo.



12 visualizações
  • icone email
  • icone telegram
  • YouTube - círculo cinza
  • icone whats
  • Facebook - círculo cinza
  • Instagram - Cinza Círculo