Por que a escolha pelo óleo de oliva?

Vou contar o motivo pelo qual escolhi, desde o início, usar no feitio dos sabões apenas um óleo - e o porque da escolha pelo óleo de oliva. Para quem não sabe, tenho uma linha de produtos naturais chamada Mangala Bioterapia.


Sendo uma boa leitora de rótulos desde pequena, sempre questionei o por que de tantos ingredientes nas composições do que ofereciam para nós. Achava absurda a quantidade de componentes para se fazer um simples xampu (sim, é assim que se escreve corretamente) ou uma pasta dental, dentre tantos outros produtos que usamos diariamente e nem sequer sabemos o que os compõe. Talvez por isso quando tinha uns 12 anos não queria mais usar sabonete e preferia tomar banho com sabão de barra (mas fui impedida pela minha mãe rs) e também porque a pasta dental foi o primeiro item que parei de usar (fazem mais de 12 anos que não uso pasta de dentes).


Crescemos entrando em contato com inúmeras misturas químicas surreais - sim, porque além de tudo, não há praticamente nada que não seja sintético no que nos vendem. A natureza passa longe das indústrias cosméticas, mas infelizmente são altamente impactadas por elas.


Essa complexidade que se criou para cada coisa, mas que podem ser simples, me incomodava.

Quando fiz meu primeiro curso de saboaria, saí de lá certa de que faria apenas fórmulas monoóleo e sabia que seria de oliva.


Porque os conhecidos sabões de coco e sabonetes artesanais ditos naturais tem sua base feita de óleo de palma e palmiste, provindos de extrativismo e que precisam ser aquecidos para derreter - além de gastar energia (gás ou luz elétrica), sempre que algo é aquecido, aquilo se modifica de alguma forma. Não há produção deles aqui no Sul, sendo que a compra demanda transportes, embalagens, armazenamentos e outras coisas mais.


O óleo de oliva é provindo de uma cultura permanente; os olivais produzem azeitonas durante séculos, mantendo sempre a vida das oliveiras, ou seja, usufrui-se do fruto que elas produzem e não a a necessidade de derrubar a oliveira para extrair o azeite da azeitona.


Para os gregos, o óleo de oliva era o néctar dos deuses. Para os egípcios, presente da deusa Isis. Para os romanos, símbolo da purificação. Os romanos carregavam ramos de Oliveira em um tecido de lã para pedir paz e proteção. Os povos mediterrâneos consideravam um arauto da luz divina e do poder intelectual, capaz de tornar o caminho visível e claro. No cristianismo é considerada um símbolo de paz, usada em celebrações como o batismo.


Suas características vão muito além das propriedades purificadoras e calmantes - e pude perceber em mim os benefícios que seu uso constante promoveu. Meus cabelos se tornaram mais volumosos - nunca tive tanto cabelo como depois de começar a lavar eles com os xampus sólidos de pura oliva. A pele lavada com a mesma barra não resseca e se mantém hidratada, sem precisar de hidratante após o banho.


A árvore de nome científico Olea europaea, possui troncos retorcidos e fortes, e são conhecidas pela sua longevidade. De crescimento lento, suas raízes são profundas, seu aspecto é robusto e resistente, o que promove elementos importantes para nosso fortalecimento, resiliência, coragem com uma base bem formada.


Ainda não temos produção de oliva aqui na chácara, mas é algo que estamos providenciando. Não existe nada mais respeitoso do que usar o que está a nossa volta, respeitando a sazonalidade e os ciclos naturais.



Shely Pazzini

Bióloga Integrativa

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo